Tipos de Nascentes

nascentes
Desenho esquemático dos tipos de nascentes originárias de lençol não confinado mais comuns: nascente de encosta, nascente de fundo de vale, nascente de contato e nascente de rio subterrâneo. Fonte: Cadernos da Mata Ciliar / Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Departamento de Proteção da Biodiversidade. – N 1 (2009)–São Paulo: SMA, 2009.

Apesar de existir diversos tipos de nascentes em geral sua formação é dependente da existência de uma interface entre o aquífero e a superfície topográfica. Quando ocorre a interceptação do fluxo de água subterrâneo com a superfície do terreno forma-se uma nascente. Hoje vamos falar sobre os tipos de nascentes e suas classificações.

As nascentes podem ser classificadas quanto à sua posição em fixas ou móveis. Nascentes fixas são aquelas que não mudam de posição ao longo do ano; também são chamadas de nascentes pontuais.
As nascentes móveis são aquelas que migram de acordo com o regime das chuvas. Desenvolvem-se no fundo das calhas e são controladas pela saturação do lençol freático.


Quanto ao regime (vazão) as nascentes podem ser perenes, intermitentes ou efêmeras.

As nascentes perenes são caracterizadas por apresentarem um fluxo de água contínuo, se manifestando essencialmente durante todo o ano, mas com vazões variando ao longo do mesmo.

As nascentes intermitentes fluem durante a estação chuvosa, mas secam durante a estiagem.

As nascentes efêmeras surgem durante a chuva, permanecendo por apenas alguns dias ou horas, portanto, surgem somente em resposta direta à precipitação. Este tipo de nascente ocorrer em todos os tipos de clima, mas são mais frequentes em regiões áridas e semi-áridas.

As nascentes também são classificadas quanto ao tipo de reservatório associado à sua formação, que pode ser freático ou artesiano.

Os lençóis freáticos dão origem a dois tipos de nascentes: as nascentes de olho d’água e as nascentes difusas. Em casos excepcionais esses tipos de nascentes também podem ser provenientes de lençóis artesianos.
Olho d'água

As nascentes de olho d’água são o tipo sem acúmulo inicial de água inicial. Surgem quando o afloramento ocorre em um terreno declivoso, brotando em um único ponto em decorrência da inclinação da camada impermeável ser menor que a da encosta. Nesse tipo de nascente o fluxo de água ocorre em um único local do terreno, correspondente ao ponto do encontro da encosta com a camada impermeável. Essas nascentes ocorrem principalmente nas encostas, serras e grotas de regiões montanhosas. São exemplos deste tipo as nascentes de encosta e as de contato.

As nascentes difusas surgem quando a superfície freática, ou um aquífero artesiano, intercepta a superfície do terreno e o escoamento é espraiado numa área, formando um grande número de pequenas nascentes por todo o terreno, originando as veredas. Esse tipo de nascente ocorre principalmente nos brejos e nas matas localizados nas partes mais baixas dos terrenos. Se a vazão proveniente do aquífero for pequena irá apenas molhar o terreno. No caso de a vazão ser grande, pode originar o tipo de nascente com acúmulo inicial, comum quando a camada impermeável fica paralela à parte mais baixa do terreno e, estando próximo a superfície, acaba formando um lago. Como exemplos desse tipo temos as nascentes de fundo de vale e as originárias de rios subterrâneos.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...