Ciclo de Vida das Gimnospermas



As folhas das gimnospermas possuem feixes, são longas ou espessas e curtas escamosas. Algumas folhas possuem função fotossintética e outras reprodutoras, denominadas esporófilas (possuem esporângios) que estão reunidas em uma estrutura denominada estróbilos ou cones. As sementes são formadas na superfície dessas folhas.

Os estróbilos podem ser monoicos ou dioicos. No estróbilo masculino, o micrósporo (esporo masculino), produzido no interior dos microsporângios ou saco polínico, sofre duas mitoses, gerando 4 células sendo que apenas duas sobrevivem e formam o grão de pólen (gametófito masculino jovem), que consiste na célula tubo ou vegetativa que irá originar o tubo polínico (gametófito masculino adulto) e a célula geradora (generativa ou núcleo reprodutor, que irá dar origem as células espermáticas, ou seja, o gameta masculino).

No estróbilo feminino, também chamado pinha, megasporângio ou óvulo, constituído por uma massa de célula (célula mãe que irá originar o esporo feminino, o megásporo), tegumento e uma abertura que receberá o grão de pólen (micrópila). A célula mãe sofre meiose e origina quatro células haploides, sendo que apenas uma dessa origina o megásporo (gametófito feminino). O megásporo desenvolve-se no interior do óvulo, originando o gametófito feminino. Após a polinização, no gametófito feminino surgem dois ou mais arquegônios, sendo cada um com uma oosfera (gameta feminino).

Algumas espécies de gimnospermas apresentam os grãos de pólen com duas asas laterais o que facilita sua dispersão pelo vento. Além da polinização pelo vento (anemofílica), os grãos de pólen podem ser levados até o óvulo feminino através dos insetos (entomofilia), água (hidroponia), artificial (pelo homem), dentre outros.

Com a chegada do grão de pólen pela micrópila, os mesmos germinam e formam o tubo polínico que cresce e alcança o arquegônio. Nesse momento, a célula geradora produz duas células espermáticas (gametas masculinos), sendo que apenas uma dessas células fecunda à oosfera e origina o zigoto.

Em algumas gimnospermas, como nas gincófitas (Ginkgo biloba), os gametas são flagelados denominados anterozoides, assim como nas pteridófitas. Depois da fecundação, o óvulo modifica-se em semente que contém o embrião do esporófito.

A semente é o óvulo maduro e já fecundado que envolve e protege o embrião e é formada pelo tegumento ou casca, embrião e endosperma (tecido de reserva nutritiva formado pelos restos do gametófito que envolve o embrião).

O estróbilo é chamado pinha e sob elas encontram-se escamas com sementes que formam o pinhão. As sementes germinam no solo, crescendo o esporófito, parte visível da gimnosperma.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...