Série Dentição 3: Peixes

Dentes da Piranha.
Chondrichthyes

Os peixes cartilaginosos possuem dentes compostos de esmalte e dentina, mas há variação de tamanho e forma desses dentes de acordo com o tipo de alimentação. 

Em geral, os dentes de tubarões são tricuspidados, formam várias fileiras na mandíbula e maxila e são repostos durante toda a vida do animal.

Tubarão e seus muitos dentes.

Osteichthyes

Os peixes ósseos têm dentes de esmalte, externamente, dentina, internamente, e cemento aderindo os dentes à mandíbula e maxila. 

Há também variação na morfologia dentária de acordo com a alimentação: 
i) dentes caniniformes, cônicos, tricuspidados e cuspidados em navalha são típicos de peixes carnívoros; 
ii) dentes rombos e fundidos são típicos de peixes herbívoros “podadores” e os rombos e espatulados são de herbívoros “pastadores”; 
iii) uma placa com vários dentículos é própria de peixes detritívoros (iliófagos); 
iv) dente em forma de agulha apresenta-se em peixes que se alimentam de líquidos corporais de outros animais.

Alguns Actinopterygii possuem dentes pedicelados: são constituídos de esmalte e dentina e a base do dente, também chamada de pedicelo, é separada da coroa por tecido conjuntivo fibroso.


Dentição de um pacu.
Pacus são parentes das piranhas, e normalmente são encontrados em riachos da América do Sul. No entanto, algumas pequenas populações aparecem ocasionalmente em lagoas nos Estados Unidos e tocam o terror na população.

Afinal, o pacu também é conhecido como o peixe “ladrão de testículos”. Essa espécie tem dentes assustadoramente parecidos com o de seres humanos, e segundo a lenda, ele confunde testículos de nadadores distraídos com comida.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...