Mitose




A mitose é um processo de divisão celular conservativa, já que a partir de uma célula inicial, originam-se duas células com a mesma composição genética (mesmo número e tipo de cromossomos), mantendo assim inalterada a composição e teor de DNA característico da espécie (exceto se ocorrer uma mutação, fenômeno menos comum e acidental). Este processo de divisão celular é comum a todos os seres vivos, dos animais e plantas multicelulares até os organismos unicelulares, nos quais, muitas vezes, este é o principal ou, até mesmo, o único processo de reprodução (reprodução assexuada).

O ciclo de vida das células, ou Ciclo Celular, compreende duas fases: a Interfase e o Período de Divisão Celular ou Fase Mitótica, este segundo também designado por mitose.


INTERFASE

Período que vai desde o fim de uma divisão celular e o início da divisão seguinte.

Como os cromossomos estão pouco condensados e dispersos pelo núcleo não são visíveis a microscópio óptico. Nesta fase, por microscopia, não visualizamos modificações tanto no citoplasma quanto no núcleo. As células porém estão em intensa atividade, sintetizando os componentes que irão constituir as células filhas. Compreende três fases:


Intervalo G1 ou pós-mitótico

Existe uma intensa atividade de biossíntese (proteínas, enzimas, RNA, etc.) e formação de mais  organelas celulares, o que implica crescimento celular. No final desta fase, a célula faz uma "avaliação interna", a fim de verificar se deve prosseguir o ciclo celular. Caso a avaliação seja negativa, as células não vão se dividir, passando ao estado G0 que dependendo da célula pode ter uma duração variada, (Ex.: neurônios, fibras musculares, hemáceas, plaquetas, etc.) e se a avaliação for positiva passa-se à fase seguinte sendo o processo irreversível.


Período S ou Período de Síntese

Vai ocorrer a auto-replicação semi-conservativa do DNA, passando cada cromossomo a possuir duas cromátides ligadas pelo centrômero.


Intervalo G2 ou pré-mitótico

Decorre desde o final da síntese de DNA até o início da mitose, com a síntese de biomoléculas essenciais à divisão celular. Esta aumenta a síntese de proteínas gastando mais energia. Ocorre também a duplicação dos centríolos (o que implica na formação de dois pares) se a célula for animal (uma vez que estes não existem em células vegetais).



PERÍODO DE DIVISÃO CELULAR ou FASE MITÓTICA

A mitose é o período durante o qual ocorre a divisão celular que compreende duas fases, a mitose e citocinese.Este processo dura, em geral, 90 a 120 minutos e é dividido em quatro etapas: prófase, metáfase, anáfase e telófase.


Prófase

No início da mitose, numa célula diplóide, o centrossomo e os cromossomos encontram-se duplicados.

Na prófase os cromossomos condensam, tornando-se visíveis ao microscópio óptico. Cada cromossomo é constituido por duas cromátides unidas pelo centrômero, chamados cromossomos duplicados. Depois, os centríolos deslocam-se para pólos opostos da célula, iniciando-se, entre eles, a formação do fuso acromático ou fuso mitótico. Entretanto, a membrana nuclear desorganiza-se e os nucléolos desaparecem.


Metáfase

A metáfase (do grego μετά (meta=depois) e φάσις (fasis=estágio) é a fase mitótica em que os centrômeros dos cromossomos estão ligados às fibras cinetocóricas que provêm dos centríolos, que se ligam aos microtúbulos do fuso mitótico. As cromatídes tornam-se bem visíveis e logo em seguida partem-se para o início da anáfase. É nesta altura da mitose, que os cromossomos condensados alinham-se no centro da célula, formando a chamada placa metafásica ou placa equatorial, antes de terem seus centrômeros repartidos em decorrência do encurtamento das fibras cinetocóricas pelas duas células-filhas, fazendo com que cada cromátide-irmã vá para cada pólo das células em formação. 

Essa é a etapa em que os estudos do cariótipo são realizados, pois os cromossomos estão totalmente condensados.


Anáfase

Quebram-se os centrômeros, separando-se as duas cromátides que passam a formar dois cromossomos independentes. As fibrilas ligadas a estes dois cromossomos encolhem, o que faz com que estes se afastem (migrem) para pólos opostos da célula - ascensão polar dos cromossomos-filhos. Isso garante que no final , em ambos os polos, haja o mesmo número de cromossomos com o mesmo conteúdo genético, e igual ao da célula mãe.


Telófase

Na Telófase os cromossomos se descondensam e uma nova carioteca organiza-se ao redor de cada conjunto cromossômico. Com a descondensação, os cromossomos retornam à atividade, voltando a produzir RNA, e os nucléolos reaparecem. 

Durante a telófase os cromossomos descondensam tornando-se menos visíveis. A membrana nuclear reorganiza-se em torno de cada conjunto de cromossomos e reaparecem os nucléolos. O fuso acromático desaparece e dá-se por concluída a mitose.


Citocinese

Divisão do citoplasma que leva à individualização das células-filhas. 

Nas células animais (sem parede celular), forma-se na zona equatorial um anel contrátil de filamentos proteicos que se contraem puxando a membrana para dentro (invaginação), levando de início ao aparecimento de um sulco de clivagem que vai estrangulando o citoplasma, até se separem as duas células-filhas. 

Nas células vegetais (com parede celular), como a parede celular não permite divisão por estrangulamento, um conjunto de vesículas, derivadas do complexo de Golgi ,vão alinhar-se na região equatorial e fundem-se formando a membrana plasmática, o que leva à formação da lamela média entre as células-filhas. Posteriormente ocorre a formação das paredes celulares de cada nova célula que cresce da parte central para a periferia. ( A parede das células não vai ser contínua, vai possuir poros — plasmodesmos, que permitem a ligação entre os citoplasmas das duas células).


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...