Classificação do Lixo


A palavra lixo, derivada do termo latim lix, significa "cinza". No dicionário, ela é definida como sujeira, imundice, coisa ou coisas inúteis, velhas, sem valor. Lixo, na linguagem técnica, é sinônimo de resíduos sólidos e é representado por materiais descartados pelas atividades humanas. Desde os tempos mais remotos até meados do século XVIII, quando surgiram as primeiras indústrias na Europa, o lixo era produzido em pequena quantidade e constituído essencialmente de sobras de alimentos. 

A partir da Revolução Industrial, as fábricas começaram a produzir objetos de consumo em larga escala e a introduzir novas embalagens no mercado, aumentando consideravelmente o volume e a diversidade de resíduos gerados nas áreas urbanas. O homem passou a viver então, a era dos descartáveis, em que a maior parte dos produtos — desde guardanapos de papel e latas de refrigerante, até computadores — são inutilizados e jogados fora com enorme rapidez.

Ao mesmo tempo, o crescimento acelerado das metrópoles fez com que as áreas disponíveis para colocar o lixo se tornassem escassas. A sujeira acumulada no ambiente aumentou a poluição do solo, das águas e piorou as condições de saúde das populações em todo o mundo, especialmente nas regiões menos desenvolvidas. Até hoje, no Brasil, a maior parte dos resíduos recolhidos nos centros urbanos é simplesmente jogada sem qualquer cuidado em depósitos existentes nas periferias das cidades.

A questão é: o que fazer com tanto lixo?

Felizmente, o homem tem a seu favor várias soluções para dispor de forma correta, sem acarretar prejuízos ao ambiente e à saúde pública. O ideal, no entanto, seria que todos nós evitássemos o acúmulo de detritos, diminuindo o desperdício de materiais e o consumo excessivo de embalagens.

Nos últimos anos, nota-se uma tendência mundial em reaproveitar cada vez mais os produtos jogados no lixo para fabricação de novos objetos, através dos processos de reciclagem, o que representa economia de matéria prima e de energia fornecidas pela natureza. Assim, o conceito de lixo tende a ser modificado, podendo ser entendido como "coisas que podem ser úteis e aproveitáveis pelo homem".


Para determinar a melhor tecnologia para tratamento, aproveitamento ou destinação final do lixo é necessário conhecer a sua classificação.

Lixo urbano

Formado por resíduos sólidos em áreas urbana, inclua-se aos resíduos domésticos, os efluentes industriais domiciliares (pequenas indústrias de fundo de quintal) e resíduos comerciais.

Lixo domiciliar

Formado pelos resíduos sólidos de atividades residenciais, contém muita quantidade de matéria orgânica, plástico, lata, vidro.

Lixo comercial

Formado pelos resíduos sólidos das áreas comerciais Composto por matéria orgânica, papéis, plástico de vários grupos.

Lixo público

Formado por resíduos sólidos produto de limpeza pública (areia, papéis, folhagem, poda de árvores).

Lixo especial

Formado por resíduos geralmente industriais, merece tratamento, manipulação e transporte especial, são eles, pilhas, baterias, embalagens de agrotóxicos, embalagens de combustíveis, de remédios ou venenos.

Lixo industrial

Nem todos os resíduos produzidos por indústria, podem ser designados como lixo industrial. Algumas indústrias do meio urbano produzem resíduos semelhantes ao doméstico, exemplo disto são as padarias; os demais poderão ser enquadrados em lixo especial e ter o mesmo destino.

Lixo de serviço de saúde (RSSS)

Os serviços hospitalares, ambulatoriais, farmácias, são geradores dos mais variados tipos de resíduos sépticos, resultados de curativos, aplicação de medicamentos que em contato com o meio ambiente ou misturado ao lixo doméstico poderão ser patógenos ou vetores de doenças, devem ser destinados a incineração.

Lixo radioativo

Produto resultante da queima do combustível nuclear, composto de urânio enriquecido com isótopo atômico 235. A elevada radioatividade constitui um grave perigo à saúde da população , por isso deve ser enterrado em local próprio, inacessível.

Lixo espacial

Restos provenientes dos objetos lançados pelo homem no espaço, que circulam ao redor da Terra com a velocidade de cerca de 28 mil quilômetros por hora. São estágios completos de foguetes, satélites desativados, tanques de combustível e fragmentos de aparelhos que explodiram normalmente por acidente ou foram destruídos pela ação das armas anti-satélites.


De forma simples podemos classificar o lixo como seco ou molhado, orgânico ou inorgânico, como veremos a seguir:

O LIXO SECO

É composto pelos papéis, plásticos, metais, couros tratados, tecidos, vidros, madeiras, isopor, parafina, cerâmicas, porcelanas, espumas, cortiças e etc.

LIXO MOLHADO

É aquele composto por restos de comida, alimentos estragados, cascas e bagaços de vegetais, etc.

O LIXO ORGÂNICO

É composto por toda matéria orgânica descartada, como os restos de alimentos, borra de café, folhas e galhos de árvores, pelos de animais, cabelo humano, papel, madeira, tecidos, etc.

O LIXO INORGÂNICO

É composto por matéria inorgânica como os metais e os materiais sintéticos, por exemplo.

Uma classificação mais detalhada do lixo pode ser feita quanto à sua tipologia, suas características físicas, químicas e biológicas.

Quanto à sua TIPOLOGIA o lixo pode ser de origem urbana, agrícola ou especial.

O LIXO URBANO pode ser:

DOMICILIAR

É formado pelos resíduos sólidos produzidos pelas atividades residenciais e apresenta em torno de 60% de composição orgânica e o restante formado por embalagens plásticas, latas, vidros, papéis, etc.

COMERCIAL

Varia de acordo com a atividade desenvolvida no estabelecimento de origem. No caso de bares, restaurantes e hotéis predomina o lixo de origem orgânica enquanto os escritórios geram lixo onde predomina o papel.

PÚBLICO

É aquele resultante das atividades de limpeza de vias e logradouros públicos e é composto por papéis, terra, folhas, etc.

LIXO AGRÍCOLA

É aquele composto pelos resíduos das atividades agropecuárias.

Embalagens de adubos, defensivos agrícolas, restos de ração, restos de colheita, estrume, etc.. Atenção especial deve ser dada as embalagens de defensivos agrícolas que merecem um tratamento adequado. Também o estrume produzido em atividades de criação intensiva devem merecer o devido tratamento devido ao grande volume de produção.

LIXO ESPECIAL

Apresenta características especiais, passa a merecer, por tanto, atenção diferenciada no seu acondicionamento, transporte, manipulação e disposição. São eles os resíduos industriais, os gerados pela construção civil, os de serviços de saúde, os lixos radioativos, os de portos, aeroportos e terminais ferroviários e rodoviários.


É aquele composto pelos resíduos sólidos produzidos nos processos industriais e suas características dependem diretamente do tipo de indústria e do tipo de processo utilizado. Porém nem sempre todo o resíduo produzido numa indústria é lixo. Ao contrário, podem ser subprodutos que servirão de matéria prima para outros processos industriais.

Noutros casos a natureza dos resíduos produzidos por algumas indústrias, como padarias e confecções por exemplo, são de natureza idêntica à do lixo domiciliar, porém produzidos em maior escola. Os resíduos industriais que são lixo e merecem tratamento especial são aqueles que oferecem qualquer risco ao meio ambiente e à saúde da população, resultantes da atividade industrial ou do tratamento de seus efluentes, líquidos e gasosos.

O LIXO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

É proveniente dos hospitais, centros cirúrgicos, ambulatórios, postos médicos, consultórios médicos e odontológicos, clínicas, farmácias e laboratórios.

Eles podem ser:
Resíduos infectantes ou lixo séptico - sangue e hemoderivados, animais utilizados em experimentações, bem como os materiais que tenham entrado em contato com os mesmos, excreções, secreções e líquidos orgânicos, meios de cultura, tecidos, órgãos, fetos, peças anatômicas, filtros de gases aspirados de áreas contaminadas, resíduos advindos de áreas de isolamento, de laboratórios de análises clínicas, de unidades de atendimento ambulatorial, resíduos de sanitários de unidades de internações de enfermaria, etc.

Resíduos comuns - Resíduos de atividades administrativas, dos serviços de varrição e limpeza, restos de alimentos que não tiveram contato com os pacientes, etc.

Rejeitos radioativos - Materiais radioativos ou contaminados com radionuclídeos, provenientes de laboratórios de análises clínicas, serviços de medicina nuclear e radioterapia.

Os resíduos infectantes compõem um pequeno percentual do lixo dos serviços de saúde, mas por oferecerem periculosidade real ou potencial à saúde humana recomenda-se sua esterilização (autoclavagem ou incineração) antes da disposição final. Os que trazem elementos cortantes ou perfurantes, capazes de promover qualquer lesões, como agulhas, bisturis e ampolas, devem ser previamente acondicionados em recipientes rígidos estanques e vedados. Os resíduos comuns, que não oferecem qualquer risco, podem receber a mesma destinação do lixo domiciliar.

LIXO RADIOATIVO

É formado por rejeitos radioativos provenientes dos serviços de saúde e das atividades industriais e é matéria regida pela Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN. (LINK)

O lixo proveniente de PORTOS, AEROPORTOS, TERMINAIS FERROVIÁRIOS E RODOVIÁRIAS deve merecer cuidados especiais, o que é justificável como medida de controle e prevenção da introdução de agentes causadores de doenças ou epidemias.

Quanto as CARACTERÍSTICAS FÍSICAS o lixo deve ser analisado quanto:
  • A composição gravimétrica, que demonstra o percentual de cada componente (papel, vidro, metais, etc.) em relação ao peso total do lixo
  • O peso específico que é o peso dos resíduos em função do volume ocupado por eles
  • O teor de umidade que representa a quantidade relativa de água contida na massa de lixo, que varia de acordo com a composição do lixo, com a estação do ano e com a incidência de chuvas
  • A compressividade ou grau de compactação que indica a redução de volume que a massa de lixo pode sofrer quando submetida à uma determinada pressão
  • A produção per capita que relaciona a quantidade de lixo gerado com o número de habitantes da região. Este índice está diretamente relacionado com o padrão de consumo e o poder aquisitivo.

Quanto as CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS o lixo pode ser analisado de acordo com:

  • O poder calorífico que é a quantidade de calor liberada durante a combustão de 1 kg de lixo, sob condições controladas;
  • O potencial de hidrogênio (pH) que indica o teor de acidez ou alcalinidade do material;
  • A reação carbono/nitrogênio (C/N) que indica a degradabilidade e o grau de decomposição da fração orgânica do lixo;
  • E o teor de matéria orgânica que representa a quantidade, em peso seco, de matéria orgânica contida na massa do lixo. Compreende tanto matéria orgânica putrescível (restos de alimento, animais mortos, etc.) como não putrescível (papel, madeira, tecidos, etc.).

As CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS são determinadas pelo estudo da população microbiana e dos agentes patogênicos presentes no lixo.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...