Classificação do Reino Vegetal


Estrutura reprodutiva

 
Existem várias classificações para o Reino Vegetal, entre elas quanto à visibilidade das estruturas produtoras de gametas das plantas. Existem dois grupos: as criptógamas e as fanerógamas.

O nome criptógama, derivação das palavras cripto (escondido) e gamae (gameta), abriga as plantas que possuem o sistema de produção de gametas pouco visível. As samambaias e as avencas fazem parte desse grupo.

Já o nome fanerógama, originário das palavras fanero (visível) e gamae (gameta), é diferente do grupo anterior e as plantas têm seus sistemas produtores de gametas bastante visíveis. Pinheiros, cicas e roseiras pertencem a esse grupo.

Vascularização


A vascularização das plantas está relacionada com a presença de vasos condutores de seiva - responsáveis pela condução e distribuição de substâncias nutritivas para as plantas.

As plantas vasculares (Pteridófitas, Gimnospermas e Angiospermas) possuem vasos condutores, já as plantas avasculares ou não vasculares (Briófitas) não dispõem de vasos. Nesse último caso, as substâncias deslocam-se por através da osmose e os nutrientes por difusão simples.

Confira abaixo as principais características das plantas vasculares e plantas avasculares:


Briófitas: são pequenas plantas que habitam ambientes aquáticos e terrestres com grande umidade, por exemplo, o musgo. A reprodução delas é por meio do ciclo haplo-diplonte (alternância de gerações com fases haploide e diploide);

Pteridófitas: são maiores que as plantas do grupo anterior e possuem raiz, caule e folhas. Na linha evolutiva, foram as primeiras a desenvolver os vasos condutores, tal característica contribuiu para adaptação no ambiente terrestre;

Gimnospermas: além de possuem raiz, caule e folhas, essas plantas possuem sementes “nuas”, mas não têm flores e frutos. De forma geral, essas plantas são terrestres, de tamanho médio e grande, habitam ambientes frios ou com clima temperado.

Angiospermas: esse grupo de plantas é o mais completo, pois possui raiz, caule, folha, flor, semente e fruto. Também é o grupo mais extenso, das 400 mil espécies de plantas, cerca de 250 mil são angiospermas que habitam desde ambientes aquáticos até áridos.

Citologia vegetal


A célula vegetal é semelhante à célula animal, ambas possuem elementos como ribossomos, membrana plasmática e mitocôndrias, que desempenham funções idênticas. Mas a célula dos vegetais possuírem adicionalmente parede celular, cloroplastos e vacúolos.
Estrutura da célula vegetal.

Nutrição


Os organismos que pertencem ao Reino vegetal são autotróficos, ou seja, produzem o próprio alimento. Todos os compostos necessários para eles sobreviver são retirados do local onde vivem (solo, ar e luz solar).

Sendo assim, a nutrição inorgânica refere-se à captação de nutrientes essenciais para o desenvolvimento da planta. A depender da quantidade utilizada, os nutrientes são classificados em dois tipos:

  • Macronutrientes: são utilizados em grande quantidade. Exemplo: oxigênio, nitrogênio, potássio, cálcio, enxofre, etc.
  • Micronutrientes: são utilizados em pequena quantidade. Exemplo: boro, zinco, níquel, cobre, ferro, etc.

Enquanto a fotossíntese, realizada na célula dos vegetais, é a forma que a planta que utiliza o dióxido de carbono e água, para obter glicose através da energia da luz. A equação química da fotossíntese é:

12H2O + 6CO2 --> 6O2 + 6H2O + C6H12O6.


Reprodução


As plantas clorofiladas se reproduzem de duas maneiras: assexuada (agâmica) ou sexuada (reprodução gâmica, ou por meio de gametas). A reprodução assexuada acontece por brotamento (ou gemulação), por fragmentação (formação de estolhos) ou por esporulação.

Já a reprodução sexuada ocorre com alternância de gerações. Há a presença de um esporófito (o indivíduo "adulto" nas plantas vasculares) e um gametófito (o indivíduo que produz os gametas) - este pode ser parasita do esporófito ou ter vida própria.

0 comentários: